Sobre a Abracen

A Associação Brasileira das Centrais de Abastecimentos (Abracen) foi criada em 1986 para servir como um sistema que une as diversas Ceasas do Brasil, substituindo o Sistema Nacional de Centrais de Abastecimento (Sinac). Atualmente conta com 30 associados que representam mais de 60 mercados atacadistas.

A Abracen trabalha para otimizar os serviços prestados pelas Centrais, divulgar e promover o mercado hortigranjeiro e incentivar uma alimentação mais saudável por meio do consumo de frutas, legumes e verduras. Participa e promove congressos e seminários técnicos e científicos nacionais e internacionais na busca de novas tecnologias e gestão para os mercados atacadistas.

As centrais de abastecimento são os diversos mercados atacadistas concentrados em um único espaço, onde se encontram vendedores e compradores, agentes públicos e informais. A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) é a maior central da América Latina.

A Abracen é filiada à World Union of Wholesale Markets (WUWM) e à Federação Latino-americana de Mercados de Abastecimento (FLAMA).

Diretoria

Gustavo Fonseca Presidente CEASA/MG
Antônio Reginaldo Costa Moreira 1º Vice-presidente CEASA/CE
Gustavo Henrique Andrade Melo 2º Vice-presidente CEASA/PE
Edilberto José da Silva 3º Vice-presidente CEASA/PR
Bianca Amaral Piedade Pamplona Ribeiro Diretora Norte CEASA/PA
Paulo Sérgio Braña Muniz Vice-diretor Norte CEASA Rio Branco/AC
José Tavares Sobrinho Diretor Nordeste EMPASA/PB
Marco Aurélio Casé Vice-diretor Nordeste CEASA/PE
Mario Dino Gadioli Diretor Sudeste CEASA/Campinas
Paulo José Filho Vice-diretor Sudeste CEASA/RJ
Renato de Lima Dias Diretor Centro-Oeste CEASA/DF
Edvaldo Cardoso de Paula Vice-diretor Centro-Oeste CEASA DE GOIÁS/GO
Natalino Avance de Souza Diretor Sul CEASA/PR
Geraldo Pauli Vice-diretor Sul CEASA/SC
José Amaro Guimarães Moreira Secretário Executivo CEASA/RS
Antônio Reginaldo Costa Moreira Vice Presidente da FLAMA CEASA/CE

Conselho Fiscal Titular

Francisco Estrela Abrantes CEASA Maranhão Co-Hortifrúti
Helio Tomas Rocha CRAISA CEASA SANTO ANDRÉ/SP
Ernesto Cruz Teixeira CEASA/Campinas

Conselho Fiscal Suplente

CEASA Paulo Afonso BA
CEASA Mato Grosso MT

O Ambiente Institucional

No caso do sistema de abastecimento, três marcos institucionais influenciaram decisivamente o sistema. O primeiro é dado pela constituição do Sinac – Sistema Nacional de Centrais de Abastecimento em 1972, sob o qual se construíram a maioria das centrais de abastecimento brasileiras, determinando os padrões e formatos das centrais de abastecimento e sua lógica sistêmica.

O segundo marco é dado pela a extinção do Sinac em 1988, e processo de desestruturação do sistema e de estagnação das Ceasas. Por fim o terceiro marco é dado pela criação do Prohort e a retomada da lógica sistêmica em outras bases, dada pela adesão voluntária, bem como o início da reestruturação do sistema e a volta da expansão e criação de centrais de abastecimento.

Criação das "Centrais de Abastecimento do Nordeste"
Criação do SINAC
Extinção do SINAC e "Estadualização das Centrais"
Criação do PROHORT
1960 1963 1970 1972 1980 1987 1990   2000 2005
Criação Estruturação Desestruturação Reorganização ...

1960: Estudo da sudene indica a demanda da criação de ceasas no nordeste

1963: Criação do ceasa nordeste

1969: Criação do ceasa - SP

1970: Criação do ceasa - RJ

1971: Criação dos ceasa - MG e CEASA - CE

1973: Criação dos SINAC, ceasa - PR, CEASA - RS e CEASA - PA

1974: Criação do CEASA - GO

1987: Extinção do sinac - Estadualização de 21 ceasas e 34 mercados atacadistas

1987: criação da abracen

2003: Encontro abracen - MG: carta de belo horizonte

2005: criação do prohort

2005: criação do flama - pernambuco, encontro do wuWM em são paulo

  • Consultoria elabora por técnicos franceses sugere a SUDENE a criação de centrais de abastecimento dentro do projeto de melhoria do abastecimento das grandes cidades do nordeste brasileiro.
  • Constituição das Centrais de Abastecimento do Nordeste S/A, empresa de economia mista com de implantar CEASAS nas principais cidades nordestinas.
  • Constituição da CEAGESP, oriunda da fusão do Centro Estadual de Abastecimento (CEASA) e a CAGESP (Companhia de Armazéns Gerais do Estado de São Paulo) de Abastecimento.
  • Governo Federal cria em 1972 o SINAC – Sistema Nacional de Centrais de Abastecimento sob coordenação da COBAL com o objetivo de receber e estender a todo o País o programa de implantação de centrais de abastecimento.
  • O segundo qüinqüênio marca a consolidação das Ceasas tendo como principal marco a organização e orientação da comercialização de hortigranjeiros que até o momento operava em mercados descentralizados sem participação do governo.
  • Criação do sistema brasileiro de centrais de abastecimento e a presença do governo como incentivador e orientador do comercio de hortigranjeiros e a abertura de uma estrutura para comercialização direta dos produtores rurais nos MLPs (Mercado Livre do Produtor).
  • Nos primeiros cinco anos o modelo se consolida e dá inicio ao comércio de produtos atípicos e complementares e as Ceasas se tornam centros de abastecimento atacadista que extrapolam os limites do comércio de hortigranjeiros. – Extinção do SINAC, em 1988 e transferência pela COBAL de sua participação acionária nas Centrais de Abastecimento para o Governo Federal que as distribui a estados e municípios.
  • É criada a Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, resultado da fusão da CFP, a CIBRAZEN e a COBAL, marcando um período de desestruturação das atividades de coordenação do abastecimento hortigranjeiro.
  • Federalização da CEAGESP e CEASA-MG e inscrição no programa de desestatização, objetivando sua privatização.
  • É lançado, em 2003 o Programa Fome Zero, que tinha entre seus objetivos a reestruturação do sistema de abastecimento.
  • Através da Internet as Ceasas passam a disponibilizar seu banco de dados com informações de oferta e preços, safras e procedências, que permitem a orientação do mercado e estabelecimento de estudos para produção programada e extensão rural.
  • O sistema busca voluntariamente sua rearticulação, em articulação com a ABRACEN – Associação Brasileira de Centrais de Abastecimento construindo o alicerce para a criação do PROHORT – Programa Brasileiro para Modernização do Mercado Hortigranjeiro.
  • É criado em 2005, pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento o Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro – PROHORT, sob a coordenação da Compania Nacional de Abastecimento – Conab.
  • É lançada em 2006, em Recife (PE), a FLAMA, Federação Latino Americana de Mercados Atacadistas.
  • Em 2006 o País recebe o encontro mundial de centrais de abastecimento e passa a ter um representante efetivo na Conferencia Mundial de Mercados Atacadista WUWM.

Contextualização

Ao agregar as centrais de abastecimento do país, a Abracen visa propor soluções e melhorias para o desenvolvimento comum do setor, a associação também cumpre o papel de interlocutória das Ceasas junto às diferentes esferas de governos e aos demais segmentos da sociedade.

Abracen
Ceasas filiadas 26
Empresas instaladas 10.000
Empregos diretos 200.000
Receitas (R$) 17.000.000.000,00
Movimento (toneladas) 15.500.000.000

Análise setorial

No exercício a seguir situamos a movimentação de frutas, legumes e verduras (FLV) das Ceasas Brasileiras e comparamos com a classificação da Revista Exame Melhores e Maiores publicada em 2008, considerando o valor da receita operacional bruta de 2007 em dólar americano. (Segundo a metodologia foi usado como referencia para as conversões em dólar a informação de valor fornecida pelo Banco Central em 31/12/2007 no valor de R$ 1,7713).

Valor