Edição 24

Edição 24

As centrais de abastecimento iniciam o segundo semestre deste ano com a participação em mais um encontro da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento (Abracen). Realizado no Rio de Janeiro, os representantes das Ceasas pelo país tiveram, na agenda do evento, debates de importantes propostas a exemplo de uma nova versão do Sistema de Informação do Mercado de Abastecimento (SIMAB).

As centrais de abastecimento iniciam o segundo semestre deste ano com a participação em mais um encontro da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento (Abracen). Realizado no Rio de Janeiro, os representantes das Ceasas pelo país tiveram, na agenda do evento, debates de importantes propostas a exemplo de uma nova versão do Sistema de Informação do Mercado de Abastecimento (SIMAB).

Os visitantes do encontro também estiveram no centro das discussões para colocarem as centrais de abastecimento brasileiras, unidas, a cargo de desenvolverem uma Política Nacional de Resíduos Sólidos para o abastecimento. No mesmo encontro puderam conhecer, através de palestras, as novidades ligadas à comercialização de hortigranjeiros e o uso de agrotóxicos, além da elaboração de um projeto de Eficiência Energética que terá foco no agronegócio alimentar.

Em outros estados, como no Espírito Santo, há novidades. Ocupando atualmente a 8ª posição entre os 35 principais mercados do País, a Ceasa/ES foi convidada a filiar-se à União Mundial dos Mercados Atacadistas (WUMW), que representa os principais mercados instalados em diversos países.

A Ceasa/RJ além de receber os visitantes do Encontro Nacional da Abracen, também foi destaque este mês pela parceria e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), que irá ampliar e modernizar o Banco de Alimentos da Central de Abastecimento fluminense. Com a divulgação do resultado da primeira fase do edital do MDS, cuja colocação da CEASA-RJ foi primeiro lugar, o projeto começa a ganhar forma e sair do papel. A ideia já vinha sendo discutida pelo presidente da CEASA-RJ, Leonardo Brandão e representantes do ministério em seguidas reuniões.No mesmo processo de licitação, a central de abastecimento de Rio Grande do Sul conquistou o segundo lugar.
Em terras mineiras a CeasaMinas também vem demonstrando valorizar a pesquisa, a busca de informação, assim como a qualificação dos produtos que comercializa. Assim sendo, apostou na parceria com a Abracen para desenvolver com cerca de 100 produtos um trabalho de caracterização. A intenção dos técnicos é de que o levantamento constitua o primeiro passo para garantir a padronização comercial dos hortifrútis, aproximando as normas científicas de classificação às práticas adotadas pelo mercado.
E no Ceará, o destaque está nas regiões serranas do estado, que hoje, são responsáveis por 46% da contribuição do Estado no abastecimento. Segundo levantamento do estado, só no último mês de maio, por exemplo, 7.939,0 toneladas de produtos oriundos dessas regiões abasteceram as mesas das famílias cearenses e desse volume participaram as produções dos municípios de Ibiapaba, Baturité, Maranguape e Uruburetama.

Como nos demonstram as últimas notícias, as iniciativas para crescimento das Ceasas e do agronegócio são constantes. Sem dúvida, este é um reflexo do desejo dos esforços conjuntos do sistema de abastecimento brasileiro para implementar a modernidade e o sucesso!

Boa leitura a todos!

Compartilhar matéria:

Deixe seu comentário