Safra da goiaba reduz preço da fruta em 20%

Safra da goiaba reduz preço da fruta em 20%

Sem esta fruta, um dos doces mineiros mais tradicionais não ficaria completo. É da goiaba que se faz o chamado “Romeu e Julieta”, ou simplesmente goiabada com queijo. E este ingrediente básico do doce está em plena safra na CeasaMinas, com preço de março cerca de 20% menor em relação a fevereiro. Além de aproveitar o período de maior oferta, a qual deve ir até maio, o consumidor também ganha em saúde. Estudo aponta que a fruta pode auxiliar até mesmo na redução da pressão arterial e do colesterol.

Apesar das ligações da goiabada com Minas Gerais, é o estado de São Paulo que mais fornece a fruta in natura ao entreposto de Contagem. Os paulistas foram os responsáveis por 63,6% do volume total da fruta comercializada em 2016. Para se ter uma ideia da importância do estado, os municípios paulistas de Valinhos (com 26,6% de participação) e Vista Alegre do Alto (15,6%) responderam por 42,2% da oferta geral do produto. Já Minas Gerais foi responsável por ofertar 36,4% da fruta.

Entre os municípios mineiros, a região conhecida como Campo das Vertentes é a principal fornecedora da fruta para o entreposto de Contagem. O produtor Liebert Santos, do município de Alfredo Vasconcelos, é um dos representantes da região na CeasaMinas.

Ele acredita que, no decorrer da atual safra, o preço será melhor para o consumidor do que em 2016, com redução estimada em 20% no preço. A queda do valor, segundo Santos, será influenciada pela expectativa de colheita 50% maior.

O produtor diz que, embora nos picos de safra as colheitas sejam maiores, os custos também são grandes. Para ele, a mão de obra é o principal, sendo responsável por 40% do custo total de produção. “Eu prefiro trazer menos mercadorias e vender mais caro na entressafra a trazer grandes volumes a preços baixos como acontece agora”, explica.

No último dia 22/03, por exemplo, a caixa com 6 quilos de goiaba no atacado foi vendida por ele entre R$ 12 e R$ 15. “Já na entressafra, o valor salta para R$ 25, em razão da oferta reduzida”.

Goiaba valorizada

“Eu só trabalho com as goiabas que são mais valorizadas no mercado, a exemplo das cultivares pedro sato e cortibel. Minha expectativa é colher umas 25 mil caixas (6 kg cada) até outubro”, afirma o produtor rural Carlos Antônio Mendes Morais, do município mineiro de Barbacena, também no Campo das Vertentes.

O mercado consumidor de São Paulo será o destino de cerca de 30% das goiabas colhidas por ele. Mendes explica que os frutos de maior valor têm em geral boa aceitação entre os paulistas, os quais, de acordo com ele, aceitam arcar com um preço mais elevado pelas melhores cultivares. “Enquanto no pico da safra, as cultivares mais caras ficam entre R$ 20 e R$ 25 (6kg), a partir de julho (entressafra) o preço vai a R$ 30”.

Goiaba com garantia de origem

Exemplo de adoção de boas práticas para as demais regiões produtoras do país, a goiaba produzida na região de Carlópolis, no Norte do Paraná, recebeu em 2016 o selo de indicação de procedência (IP). A IP da goiaba abrange os municípios de Carlópolis e Ribeirão Claro, cujos produtores trabalham com o sistema de poda total, por meio do qual é possível colher o ano todo. Um dos diferenciais da goiaba da região de Carlópolis está no tipo de manejo integrado, que inclui o ensacamento dos frutos ainda no pé, de modo a protegê-los da ação de insetos.

De acordo com técnicos e produtores da região, essa técnica tem contribuído para reduzir o uso de pesticidas, garantindo mais qualidade à fruta. Produtores também destacam a maior durabilidade na prateleira como atributo importante da fruta.

Doce vira patrimônio

Já em Minas Gerais, é o doce fabricado com a fruta que ganhou maior reconhecimento. Trata-se da “Goiabada Cascão da Região de Ponte Nova”, na Zona da Mata Mineira, que recebeu o título de patrimônio cultural e imaterial. De acordo com a Prefeitura Municipal, o título foi oficializado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) em 2014, em reconhecimento ao modo específico de produção mantido pelas famílias desde meados do século 19. No ano passado, a goiabada cascão do local ganhou um selo de identificação.

Fruta é aliada da saúde

Rica em vitaminas A e C, a goiaba oferece inúmeros benefícios à saúde. É o que apontou, por exemplo, um estudo de 12 semanas com 120 pessoas, realizado pelo Laboratório de Pesquisa Cardíaca da Índia. O trabalho descobriu que comer goiaba madura antes das refeições causou uma diminuição global da pressão arterial. Houve ainda uma redução no colesterol total de 9,9% e um aumento de “bom” colesterol HDL em 8%.

Demais produtos em safra e outros dados, como o Boletim Diário de Preços, podem ser consultados pelo link Informações de Mercado do site da CeasaMinas.

Mais informações:
Departamento de Comunicação CeasaMinas (31) 3399-2011/2012/2036

Compartilhar matéria:

Posts relacionados

Gustavo Fonseca, presidente da Abracen, é eleito diretor da WUWM CeasaMinas intensificará a fiscalização de embalagens Diretoria da CeasaMinas participa de evento sobre retomada econômica Venda de produtos japoneses cresce na CeasaMinas Agradecimento do Presidente da ABRACEN

Deixe seu comentário